[Filme] Olhos de Dragão

6 de Dezembro de 2015
[Filme] Olhos de Dragão

Olhos de Dragão

Sinopse Olhos de Dragão

No bairro de St. Jude Square, em Nova Orleans, uma guerra entre duas gangues está tirando a paz dos moradores da região. Os líderes opostos Dash e Antuan criam o pânico nas ruas e a esperança parece ter terminado para aquele pedaço da cidade. Isso muda quando Ryan Hong chega à cidade. Um a um, Ryan vai demolindo todos os líderes do tráfico e pequenos mafiosos, fazendo uma verdadeira limpeza no bairro.

Comprar Olhos de Dragão

- Olhos de Dragão em Blu-ray

Ficha técnica Olhos de Dragão

Título Original: Dragon Eyes.
Origem: Estados Unidos, 2012.
Direção: John Hyams.
Roteiro: Tim Tori.
Produção: Alan Amiel, Joel Silver e Courtney Solomon.
Fotografia: Stephen Schlueter.
Edição: Andrew Bentler, Andrew Drazek e Jon Greenhalgh.
Música: Michael Krassner.

Trailer Olhos de Dragão

Crítica Olhos de Dragão

Mesmo para os fãs de filmes de artes marciais, Olhos de Dragão está longe de ser uma produção recheada de atrativos ou mesmo de cenas dignas dos filmes estrelados pelos principais nomes do gênero. Aliás, é bem provável que esse filme passasse batido pela maioria dos espectadores caso o nome de Jean-Claude Van Damme não estivesse nos créditos.

Lançado em 2012, o filme conta com a direção de John Hyams, que em seu currículo traz ainda outros dois trabalhos ao lado de Van Damme: Soldado Universal 3: Regeneração e Soldado Universal 4: Juízo Final. Contudo, o roteiro de Tim Tori (A Armadilha) é claramente o ponto mais fraco da produção, que em momento algum decola.

A trama é centrada em Hong (Cung Le), um novato que chega à cidade de St. Jude com o objetivo de trazer um pouco de paz à população de um local assolado por traficantes de drogas e policiais corruptos. Com habilidades de luta acima da média e um senso de urgência em pacificar o local, Hong coloca seu ousado plano em prática e, claro, compra uma briga com meio mundo.

Porém, para o espectador, suas motivações não ficam claras: ele quer pacificar o local e tenta se redimir daquilo que ele acredita ter sido um erro do passado, mas não sabemos qual foi esse erro e nem o motivo da escolha de St. Jude. A trajetória de Hong é pontuada por conselhos de Tiano (Jean-Claude Van Damme) enquanto ambos dividem uma mesma cela na prisão.

Van Damme, quando em cena, se destaca e transparece a mesma empatia dos clássicos que ajudaram a construir a sua carreira como um ícone das artes marciais. Entretanto, sua participação é bastante reduzida e sempre cercada de mistério. De certa forma, é como se o astro belga estivesse “acima” de todo o desenrolar da trama – o que é compreensível dentro do roteiro mediano e, sem dúvida, decepcionante para o espectador.

De resto, as pouco mais de 1h30 de duração de Olhos de Dragão parecem ser mais do que suficientes para desenrolar uma história que, mesmo no final, deixa muitos pontos em aberto. Um destaque fica por conta da direção de fotografia de Stephen Schlueter, que lança mão de combinações de filtros em diversos momentos para criar contrastes de situações, num resultado agradável.  O trabalho de edição, coordenado por Andrew Bentler, Andrew Drazek e Jon Greenhalgh, também contribui bastante para que o ritmo de apresentação seja adequado.

Olhos de Dragão está longe de ser um filme interessante ou marcante, mesmo para aqueles que acompanham bastante produções do gênero. Porém, como mero entretenimento, seu resultado é tolerável.

Nota 6