[Filme] Os Simpsons: O Filme

2 de Outubro de 2012
[Filme] Os Simpsons: O Filme


Os Simpsons: O Filme

Sinopse Os Simpsons: O Filme

Homer Simpson tem um novo bicho de estimação: um porco. Devido a um silo perfurado e cheio de fezes, um desastre de grandes proporções acontece em Springfield. Isto faz com que uma multidão sedenta por vingança se reúna diante da casa dos Simpsons, querendo Homer e sua família de qualquer jeito.

Eles conseguem escapar, mas a partir de então os Simpsons passam a discutir e se dividir sobre o ocorrido. Paralelamente o ocorrido chama a atenção do presidente dos Estados Unidos, Arnold Schwazenegger, e do chefe da Agência de Proteção Ambiental, Russ Cargill, que planeja realizar um plano diabólico para conter o desastre ocorrido.

Comprar Os Simpsons: O Filme

Os Simpsons: O Filme em DVD
Os Simpsons: O Filme em Blu-ray

Ficha técnica Os Simpsons: O Filme

Título Original: The Simpsons Movie.
Origem: Estados Unidos, 2007.
Direção: David Silverman.
Roteiro: James L. Brooks, Al Jean, David Mirkin, George Meyer, Matt Groening, Ian Maxtone-Graham, Mike Reiss, Mike Scully, Matt Sellman, John Swartzwelder e Jon Vitti, baseado em série de TV criada por Matt Groening.
Produção: James L. Brooks, Matt Groening, Al Jean, Richard Sakai e Mike Scully.
Edição: John Carnochan.
Música: Hans Zimmer.

Trailer Os Simpsons: O Filme

Crítica Os Simpsons: O Filme

Poucos desenhos animados tiveram uma trajetória tão vitoriosa como Os Simpsons. Lançado no final da década de 80, os personagens amarelos Homer, Margie, Bart, Lisa e Maggie riam de si próprios, criticavam tudo e todos os valores capitalistas norte-americanos. A identificação por parte do público foi imediata. Os Simpsons era uma reflexão bem-humorada dos absurdos do cotidiano moderno.

O tempo passou e – diferente do que muitos previram ao longo das temporadas – felizmente a ironia da família e Springfield permaneceu atual e cada vez mais ácida. Sua chegada aos cinemas não traz grandes novidades. Apenas mais uma oportunidade de rir de si mesmo, do momento atual dos Estados Unidos e até mesmo do meio cinema.

Nem o espectador escapa. Quando Homer se levanta e diz “devemos ser idiotas por estarmos no cinema vendo algo que podemos ver de graça na TV”; ou mesmo quando uma tarja de propaganda anuncia o horário dos episódios da série no canal Fox, nada mais é que o que vemos cada vez com mais freqüência nas telonas. A diferença em Simpsons é que tudo é às claras e, com certeza, motivo para se fazer uma piada.

Homer Simpson vai ao extremo do absurdo. Desta vez ele adota um porco como animal de estimação e as fezes do bichinho, despejadas por ele no lago da cidade, provocam um impacto ambiental de proporções incontroláveis, fazendo com que Arnold Schwarzenegger – presidente dos EUA – coloque a cidade de quarentena.

A preocupação com o aquecimento global, talvez o assunto mais em pauta atualmente, é o pano de fundo do roteiro, que não perdoa ainda Uma Verdade Inconveniente, documentário de Al Gore, o obsessivo controle de informação dos Estados Unidos e a “falta de inteligência” dos seus governantes. O lado “moral da história” também está presente, na delicada relação pai e filho de Homer e Bart que, no final das contas, sempre acaba bem.

Os Simpsons na tela grande não foge muito do alto padrão de qualidade e criatividade apresentado nos episódios televisivos, o que por si só já o coloca entre as melhores produções deste ano nos cinemas. E como tudo que reluz em Hollywood se transforma em seqüência, não é de se admirar se estivermos diante de uma interminável série de produções nos próximos anos.

Nota 8